sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Desodorizante caseiro


Quando pesquisei receitas sobre desodorizantes caseiros, fiquei (muito) céptica quanto à sua eficiência, mas pensei que só experimentado é que ficaria a saber se funciona ou não. Além do mais pensei: mal não irá fazer, já que este desodorizante não contém alumínio, alcool nem nenhuma substância que não seja natural, são bem piores os desodorizantes comerciais... ok, ok pode cheirar mal, mas por isso decidi testar em casa primeiro, durante a noite e de manhã depois de eu ter cheirado (e não me ter cheirada a nada!) pus a família toda a cheirar os sovacos, como sabem não há ninguém mais honesto que as crianças e só depois de ouvir "não cheira a nada!" arrisquei usar numa curta saída e passei o tempo a cheirar-me (foi um bocado estranho) mas é incrível, não cheira mesmo a nada, quer dizer, cheira a pele... Resumindo, foi testado e está aprovadíssimo! O leve cheiro que o óleo de coco deixa desaparece após algum tempo, mas depois disso cheira a nada... mesmo a nada! O que eu achei fantástico. Na primeira receita que fiz, gostei tanto do aroma do óleo de côco que optei por não usar qualquer óleo essencial que camuflasse esse cheiro.
Cá em casa, desde que fiz esta receita no início de Novembro de 2010 que não usamos outra coisa,... fiquei muito surpreendida por ter funcionado e até melhor do que os desodorizantes comerciais, já que não tem nenhum perfume artificial e não fica aquele cheiro estranho de suor misturado com o desodorizante. O boião que se vê na fotografia (que é um frasco de iogurte pequeno) durou dois meses e pouco para duas pessoas.

Como é que este desodorizante funciona?
O que cheira mal no suor não é o suor em si, mas as bactérias que depois ali proliferam naquele ambiente quente e húmido. Este desodorizante funciona como tal pois não permite que as bactérias se desenvolvam. Continua-se a transpirar, só que não cheira mal! Portanto, não funciona como antitranspirante, pois não é nada saudável inibir as funções naturais do nosso corpo.
O óleo de côco é anti-bacteriano e combate os odores, tem propriedades anti-virais, anti-fungícas, anti-parasitais e anti-microbianas – é o que se quer!
O bicabornato de sódio é também um anti-bacteriano, torna aquela zona alcalina, e como as bactérias preferem ambientes ácidos não deixa que o mau odor se instale.
O amido de milho ajuda a manter a zona menos húmida, já que absorve a humidade dando uma sensação de seco.


Receita:
6 colheres de sobremesa de óleo de coco biológico
1/4 de chávena de bicabornato de sódio
1/4 de chávena de amido de milho
Ingredientes opcionais:
1 cápsula de óleo de onagra
3 gotas de óleo essencial de tea tree
8 gotas de óleo essencial de bergamota ou outro


Numa tigela coloca-se o bicabornato de sódio e o amido de milho e mistura-se bem. Juntam-se os óleos essenciais e o de onagra. Depois junta-se o óleo de côco e mexe-se bem para ficar homogéneo. De início parece que a mistura não liga por causa do óleo de côco, mas aos poucos a óleo começa a ficar mais mole e fica uma massa lisa e uniforme.
Coloca-se a pasta num frasco e aplica-se com os dedos ou então pode-se encher um recipiente de desodorizante vazio daqueles que têm um aplicador que sobe, que tem rodinha em baixo (ver o video abaixo que explica como encher). Atenção que não funciona com os aplicadores "roll-on".
Deve-se colocar o desodorizante um pouco antes de se vestir e espalhar bem para ser absorvido pela pele. Uma bolinha do tamanho de uma ervilha basta e assim evita-se que as roupas fiquem manchadas.


Notas:
Usa-se óleo de côco não refinado, ou seja, o óleo é branco, sólido à temperatura ambiente e derrete-se nas mãos e tem um cheirinho a côco que dá vontade de comer. Compra-se nas casas de produtos naturais.
Os óleos essenciais são opcionais, são úteis pelas suas propriedades, além do perfume que deixam.
Não deixa manchas brancas na roupa.
Notei que nas roupas mais coloridas (ex. vermelho) nota-se uma marca se transpiro mais, mas sai com a lavagem.
Às vezes pode ocorrer uma ligeira vermelhidão e/ou irritação da pele que só ocorreu quando uns pelos começaram a nascer, que ocorre maioritariamente por causa do bicabornato de sódio. Experimentei mudar a fórmula para metade da dose de bicabornato de sódio e o dobro de amido de milho, conforme sugerido noutros sites e não resultou! Fiquei a cheirar mal...


Sites:
Receita original aqui.
Colocar num recicpientede desodorizante usado aqui e o vídeo aqui.
Outra receita mais elaborada (não testada) aqui.

Aqui fica mais uma solução natural, económica, saudável e que funciona! Experimentem e contem, ok?

19 comentários:

Marta Lima disse...

parece maravilhoso!
vou experimentar! obrigada!
que tipo de chávena é que estamos a falar? café? chá? caneca?
e quanto às colheres do óleo de côco... são medidas com o óleo liquido ou sólido?

Ana C. disse...

Olá Marta,
É muito bom! Não uso outra coisa desde que experimentei.
A medida são chávenas de chá.
E não se derrete o óleo, usa-se á temperatura ambiente, ou seja, sólido. No início parece que a mistura não acontece, mas depois funciona.
Depois conta a tua experiência, ok?
Obrigado!
Bjs, Ana C.

Marta Lima disse...

é fabuloso!
aguento o dia todo sem ter que me lavar novamente ou repôr o produto, mesmo naqueles dias de stress em que as minhas hormonas ficam aos saltos!
eu juntei umas gotas de óleo de árvore de chá e uma mistura bio que se chama perfume da serra... que cheirinho bom!
o que me atraiu ao principio esta receita foi o ter o óleo de côco, que foi para mim uma descoberta recente maravilhosa; há já algum tempo que eu e a minha filha comemos óleo de côco todos os dias... tem propriedades excelentes!
mais uma vez obrigada pela receita excelente!

Ana C. disse...

Que bom!
Eu tive a mesma reacção quando experimentei, nem queria acreditar que uma coisa tão simples e acima de tudo, natural funcionasse tão bem.
Obrigado pela partilha.
Até breve!
Beijo, Ana C.

Inês Pinto disse...

Olá Ana,
Cá por casa (eu e a cara-metade) experimentámos e estamos fãs! Depois de termos usado vários desodorizantes de compra (mas para além dos químicos, ou tinham demasiado cheiro ou não eliminavam o cheiro...) e um outro também caseiro, este sem dúvida é excelente!! É eficaz e não é agressivo para a pele! Bjs (a seguir vou experimentar o scrub)

Ana C. disse...

Olá Inês! Fico contente que tenham gostado. :-)
O scrub é muito bom, limpa a células mortas e deixa a pele muito macia.
O tricot e crochet como vão?
Bjs, Ana

Inês Pinto disse...

Não vão...:o( Desde 09 de Fevereiro que ando ás voltas com a varicela (primeiro a do meio e depois a mais velha). Quando uma regressou á escola, começou a outra. Agora (que parece que a pequenina escapou) estou a retomar a minha lista de afazeres...Bjs
Inês

NaturaliiZ disse...

Olá

Já tinha visto uma receita idêntica, e fiquei logo de antenas no ar. Confesso que ainda não experimentei e que me sentia ainda um pouco céptica apesar dos comentários. Agora que passo por aqui e vejo ainda mais comentários positivos estão ainda mais interessada e quase convencida, falta fazer e experimentar.

Leticia disse...

Olá Ana!

Antes de mais o meu muito obrigada por partilhares a tua receita de desodorizante é super fantástica. Experimentei hoje pela primeira vez e fiquei logo fã porque ao fazer a minha corrida de resistência, no final da corrida cheirei e nada de cheiro desagradável, acredita é muito melhor do que aqueles que costumo comprar que são super caros e não dão provas da sua eficácia. Uau é fácil, simples, rápido e claro super eficaz :)

filomena disse...

Gosto muito da ideia, e a receita parece-me razoável, logo que consiga encontrar o óleo de côco.
Eu já uso o método "No Poo" (bicarbonato de sódio e vinagre de sidra) para limpar o cabelo, e o Oil Cleansing Method para limpar a cara - ambos com excelentes resultados e usando ingredientes simples.
O desodorizante parece-me um excelente próximo passo, obrigada pela partilha ;o)

pmaionese disse...

Olá, Descobri hoje o teu blog e estou maravilhada. Já andei aqui a cuscar e quero mesmo experimentar esta receita do desodorizante, mas tenho algumas questões: Andei a fazer uma pesquisa de mercado, para comparar preços, e fiz as contas ao investimento inicial, que com as cápsulas de óleo de onagra acaba por ficar um bocado mais caro, mas fazendo as contas um bocado por alto, parece-me que estas quantidades ficarão por cerca de 2,50€. Estou a fazer bem as contas? Passando à outra questão sabes-me dizer se a validade destes produtos nomeadamente o óleo de côco e as cápsulas é grande? é que comprar uma embalagem de 30 cápsulas, para usar apenas 1 e depois a validade acaba, não é muito compensador.
Obrigada desde já pela ajuda que me possas dar nesta questão, e continua o excelente trabalho. :)

Just me disse...

Olá Ana.
Experimentei fazer o desodorizante, mas não sei se o fiz da forma correta. Primeiro a pasta não se formava, ficou apenas um pó. Não sei se terei colocado algum ingrediente em demasia.Depois resolvi juntar óleo de amêndoas doces até formar a tal pasta. É suposto ficar com uns grãos, tipo esfoliante?
Obrigada pela informação que partilha e pelo seu bonito trabalho.

AnaRaL disse...

Olá Gostei da sua sugestão... estava à procura de receitas de desodorizantes o mais naturais possíveis para substituir os comerciais tão prejudiciais para a saúde...Gostei e Obrigada

Sandra disse...

Olá Ana, adorei ler um pouco sobre ti e gostei das tuas partilhas, obrigada! Gosto de ser e estar nesse estado de DIY (faça vc mesmo) e nesta receita, substituiria o amido de milho (transgé.) pela mesma quantidade de farinha de araruta, fica excelente. E o óleo de onagra comprei em frasco de 100 ml. Eu fiz uma receita há cerca de 10 dias pela qual me apaixonei, mas difere desta, aqui partilho ;)
DEO natural:
4 c. sopa de óleo de coco,
1 1/2 c. sopa de cera de abelha,
5 gotas de OE (óleo essencial) de árvore do chá
10 gotas de OE - um ou mais à escolha - eu usei violeta
1 c. sopa de óleo de coco - a substituir gel de aloé. Misturei tudo e os meus dias começam deliciosamente. Experimenta :)

Marcos Montanhês disse...

Algumas gotas de tintura de Tuia (thuya occidentalis) - que por si só funciona como desodorante - caem bem. E o cheiro dela acho muito bom. Há na tintura o elemento álcool, que alguns querem evitar, mas nada nos impede de fazer uma infusão da planta em óleo de coco aquecido para ser utilizada na mistura do desodorante. Abraço, e obrigado pela dica!

Sara Duarte disse...

Olá! Depois de ler o post e todos os comentários tão positivos, decidi também experimentar! Segui a receita à risca e ficou com uma textura muito seca, quando aplicava na pele, esfarelava e caía... Fui ver a receita original e lá falam em colheres de sopa de óleo de coco e não em colheres de sobremesa... adicionei então o volume de óleo que faltava e agora sim, tinha atingido uma boa textura, já dá para ser absorvido pela pele! Até agora, parece-me muito bem. O teste crítico vai ser num dia de corrida ;)

Silvii3 _ disse...

Fiz agora mesmo por isso ainda não sei se resulta comigo mas, pelo menos o cheiro é óptimo =D Como se deve conservar esta mistura? Pode ficar no casa de banho ou tem de ir para o frigorífico?

Unknown disse...

já fiz, mas fiquei muito vermelha e com ardor devido ao bicarbonato. O que posso alterar?Pensei em cozinhar o bicarbonato só com um bocadinho de óeo; penso que não se torne tão agressivo e tambem ponho menos quantidade. (Mas pode se estragar). Depois ponho mais óleo de côco.
" quando fiz só usei o oleo de coco, a farinha de milho e o bicarbonato. Não pus os outros oleos. Não sei se faz muita diferença.

Verena Basto disse...

Olá! Parabéns, adoro o desodorizante. No início ficou bastante líquido mas depois solidificou, e derrete-se ao colocar.
Obrigada :D